Ouça ao vivo!

15 SETEMBRO 2014
Entrevista com Jody Wisternoff
Fonte: LessThan3


Jody Wisternoff tem sido parte da cena desde o fim dos anos 80, gradualmente trabalhando o seu caminho para um papel de liderança ao lado de James Grant na Anjunadeep. Nós conversamos com o "Bristol Legend" para discutir sobre o passado, o presente e o futuro da house music, seus equipamentos de estúdio, e seu trabalho com seu colaborador de longa data Nick Warren.

Você está na cena a um tempo; você começou na década de 80? 
Jody: No final dos anos 80. Eu não sou tão velho! 
 
Neste período a cena mudou muito, especialmente com a explosão da dance music nos EUA. Você vê essa tendência como algo sem precedentes, ou é apenas mais uma etapa para a cena? 
Jody: Se você olhar, por exemplo, a explosão da dance music em 91, quando o Top 10 no Reino Unido foi feito de dance music e rave music, nós meio que já testemunhamos isso. Nós também testemunhamos por volta de 2005 o fechamento da revista Musik Magazine e que foi uma "desgraça e tristeza" por um tempo. Muita gente caiu no esquecimento, mas foi principalmente pessoas que não seriam relevantes a longo prazo, desse modo foi separado o trigo do joio, um pouco. 
 
Você acha que algo como isso pode ser bom para a cena? 
Jody: Sim, eu acho bom esse darwinismo. Um pouco de abate, sem querer soar muito ruim! Eu não vou mentir para você, não é fácil fazer uma vida fora dos padrões normais, é  um trabalho de amor. Pode haver momentos em que se você está escrevendo e você não coloca nada na rua há uns 6 meses, suas gigs começam a secar um pouco, e que o dinheiro precisa vir, caso contrário eu não posso alimentar a família. É um equilíbrio entre manter na consciência das pessoas e estar no laboratório e produzindo. Enquanto a cena estiver passando por altos e baixos, você só tem que continuar. É quase como é ter seu próprio turno. 
 
Você acha que é bom que um súbito aumento na popularidade do deep house, por exemplo, pode trazer novas pessoas para a cena? 
Jody: É melhor do que ser ignorado e não vender nada. Uma boa parte da música que está acontecendo com o título de deep house não é realmente deep house. Ele varia, uma parte dela é apenas em linha reta até o house.
 
Acho que é um pouco como quando trance que teve um pico na década de 90 / início dos anos 2000. Ele foi impulsionado por um material mais comercial... 
Jody: É assim que as coisas funcionam normalmente, mas você precisa estar ciente da reação, o que só pode acontecer uma vez que algo se torna sobre-exposto. Se algo é anunciado como o ponto alto em um sábado à noite, então você alcançou o máximo de exposição, mas isso gera um pouco de preocupação. Você apenas tem que manter suas armas, senão você vai se tornar moda outra vez daqui a uns 20 anos! 
 
Você ainda está trabalhando com Nick Warren do Way Out West e há um álbum vindo por aí.... que tipo de som que podemos esperar disso? 
Jody: Tem aquele tipo de som mundano, camadas e texturas interessantes que parecem acontecer quando chegarmos juntos. Nós experimentar muito em vez de depender apenas de um monte de sintetizadores. Nick é um especialista, nos dias de hoje, você tem que limpar um monte de amostras de samples, infelizmente. Nosso trabalho está bem bacana e melódico, um pouco mais inebriante do que o material anterior, o que é, possivelmente, a influência de Nick porque ele está presente em um monte de coisas nos dias de hoje. No momento, eu diria que cerca de metade dos meus sets ao vivo estão nas demos do novo álbum junto com novos materiais, o Anjunadeep: 06, que também estarão presentes.
 
Você está muito envolvido com Anjunadeep, trabalhando no Anjunadeep: 06 e, claro, Deep: 05 antes disso. Como você começou a se envolver com a label? 
Jody: Eles assinaram Lassoo cerca de quatro anos atrás, e desde então eu sempre dei a primeira opção sempre que eu escrevia alguma coisa que eu acho que vale a pena assinar. Então eles me pegaram para ser um tipo de residente, me perguntaram se eu queria entrar nas composições e outras coisas. Então, eu enchia os sapatos realmente, empurrando o housier,um BPM mais e o resto é história. 
 
Então isso é uma coisa a longo prazo? 
Jody: Esperemos que, desde que tudo esteja olho a olho e nós estamos na mesma página musicalmente. O fato de que eu e James Grant decidimos mixar o 06 juntos para mostrar que estamos pensando da mesma forma. Eu realmente respeito o seu gosto musical.
 
Há uma fase Anjunadeep chegando no TomorrowWorld. É algo que você já tinha uma mão na curadoria? 
Jody: Não, eu não posso dizer que eu tenho, mas é muito bom ver os caras levando a sério e realmente se intensificando com o lado profundo das coisas quando se trata de uma tour, por isso espero que este seja apenas o começo. Isso é algo que eu senti falta um pouco quando estávamos trabalhando no Anjunadeep: 05. 
 
Uma noite Anjunadeep em Ibiza é algo que vocês estão procurando fazer no futuro? 
Jody: Estamos anaisando isso no momento. Muito disso é graças a um cara chamado Dom, que trouxeram no ano passado, ele tem um monte de entusiasmo para levar as coisas para um próximo nível. 
 
Você se vê mais como um DJ que produz ou um produtor de DJs? 
Jody: Eu curtia fazer umas batidas, quando eu tinha uns 15 anos, brincava com drum machines e coisas assim. Então, meu pai me levava aos clubs e eu mergulhava neste mundo. Desde que eu comecei, em uma idade tão jovem, eu estava definitivamente brincando com a música muito antes de ir tocar como Dj nos clubs. 
 
Temos visto alguns vídeos do seu estúdio no YouTube, você tem um monte de equipamento analógicos e têm uma abordagem bastante orgânica para a produção. Como você se sente, isso afeta o seu som? 
Jody: Você pode realmente ouvir. Então, novamente, há uma grande quantidade de pessoas que estão a tomar-lo ainda mais ao ponto que eu estou pensando "eu realmente preciso estar pegando em que" O todo coisa pedal de guitarra FX. Eu preciso de alguns atrasos analógicas em casa em vez de usar delay digital. Eu tenho a fonte de som coberto com os synths clássicos, mas eu acho que é hora de obter algum equipamento externo analógico e obter alguma distorção quente reais acontecendo. Obter no ebay e obter um pouco agradável cadeia FX juntos! 
 
Existe alguém que você gostaria de colaborar com quem você nunca trabalhou ainda? 
Jody: É um difícil de responder, porque eu estaria insultando alguém realmente bom, se eu não dizê-las! Eu adoraria fazer algo com Jamie Woon. Eu sempre amei a sua voz.
 
Além do material Way Out West, há mais alguém que você está trabalhando no momento? 
Jody: Na Deep: 06 Fiz ​​uma colaboração com  com Lane 8 e James Grant para o remix Discussão Hollow. Eu e Robert Babicz estamos sempre pensando em fazer algo juntos que seria bom em algum ponto. 
 
Descreva o seu som em 3 palavras...
Jody: Emocional, sexy e consistente.
 



COMPARTILHE