Ouça ao vivo!

29 JULHO 2014
Hit do DJ Dodger Stadium celebra a house music de LA
Fonte: deepbeep


Alerta de hitaço com “Love Songs”, house viciante do DJ Dodger Stadium, duo que consiste em Jerome LOL, Samo Sound Boy e também a tentativa de resumir se não um som para Los Angeles, ao menos o espírito ensoralado da cena da megalópole californiana, epicentro não só da EDM, mas de muita boa música sendo feita.

 O clipe é tão envolvente quanto os loops vocais lately I’ve been singing the songs by myself… Filmado por um drone , ele mostra a região de Westlake em LA ambientando sem firulas a localidade e as intenções geoartísticas da dupla.
 
Assista e veja se você já não ouviu essa música em algum set ou podcast por aí, porque “Love Songs” está tocando!
 


 
Jerome LOL, como diz o nome memético, é um cara que mistura Adele, dubstep e deep house em seus sets. Samo Sound Boy faz house music cheia de marra, e ambos criaram o selo Body High, que traz em sua gênese a ideia de house music simples e animada: club music efetiva que cai muito bem com um termo que os americanos adoram - uplifting.
 
 
Junto de “Love Songs” já saiu do forno o primeiro álbum completo desses DJs que brincam com o nome de um dos grandes times de beisebol de LA, o Dodgers. O que eles não brincam aqui é com a ambição dessa potente house music ser música de Stadium, e o LP “Friend of Mine” é uma reunião de 10 faixas que mostra a sagacidade da dupla em construir faixas um pouco acima dos 122 BPMs, numa energia constante, juvenil, que ainda é agraciada com um momento ou outro mais harmônico.
 
 


 
 
Há um macete (cedo dizer ainda cunhar que é uma fórmula) no DJ Dodger Stadium em usar samples de soul/black music repetidos em loops à exaustão, uma característica que marcou o sucesso de gente tão díspar, mas ao fundo tão comum como Avicii, Chris Malinchak e Moby. Curioso ver ainda resenhas sobre esse vigor da dupla. Enquanto o Resident Advisor reforça que é um álbum de verve pop, o Pitchfork se impressiona com o flerte da dupla com o techno. Tudo junto e misturado.
 
 


 
Mapeando essas interpretações do som dos Dodgers Stadium, nota-se que eles mesclam a Chicago da house music e a Detroit do techno para ilustrar Los Angeles com um 4×4 energético, pulsante e veloz e com o jackin’ afiado e com propriedade. Um som e uma cidade que desfrutam bem da música eletrônica no século 21, sem passar recibo para ninguém.


COMPARTILHE