Ouça ao vivo!

09 JULHO 2014
Benjamin Ferreira e a música das castanholas
Fonte: deepbeep


Alguns DJs carregam consigo hits próprios, aquelas tracks que são trunfos que o público já os associas com carinho e empolgação. Em São Paulo e por aí o DJ paraense Benjamin Ferreira, o simpático Benja, ficou famoso por uma música cheia de groove, animada, que tem uma característica bem reconhecível: é a “música das castanholas”.

Em nossas andanças já batemos muita castanhola na pista de Benja, e era a hora de saber a origem e mais detalhes desse seu delicioso hit. 
 


 
Com a palavra, o DJ.
 
“Conheço o Max desde moleque. Ele vende discos no centro de Belém e é um admirável conhecedor de música de todos os tipos. Ir à minha cidade-natal e não visitar sua barraca é tão impossível quanto não tomar açaí ou tacacá. Compro de tudo lá: música paraense, MPB, funk, disco, house, lambada, latinidades… Há um ano achei por lá um disco de Chicago house de 1987 que eu não conhecia, “Turntable Terror Trax“. Puxei pra ouvir e nos primeiros segundos já saquei que “Jammin’” daria certo. Desde então, sempre vem gente pedir “a música das castanholas”. Simples, percussiva e cheia de groove, características que norteiam sempre a escolha do meu repertório. E uma grande surpresa: descobri depois que ela foi inspirada numa faixa de um cara que adoro, Ralph MacDonald, chamada “Jam On The Groove”, de 1977.“
 
Benja tocou a festa sábado último na festa gay de SP Ursound, onde ele é residente, para delírio da pista que já estava bem animada. “Toco duas vezes por mês na pistinha, o que para mim é um imenso prazer, pois a iniciativa de abrir espaço para a música underground em uma festa gay é louvável num momento em que a noite gay é tão dominada pelo mainstream. Sou muito grato aos organizadores Daniel Martins e Edu Atlantis, aos DJs que dividem a cabine comigo, e ao público cada vez maior que sempre nos prestigia”.
 
Ele também é residente, ao lado de Renato Cohen, da Poperô, que no momento está sem lar mas aparece eventualmente em festas como Selvagem, Quitanda e Cio. “Outra Outra residência é a Discoteca Tropical, projeto de música brasileira, africana e latina do DJ Ad Ferrera no qual embarquei com ele e o Tahira. A primeira edição que participei foi linda, na NossaCasa, (Pinheiros), e a próxima deve ser em agosto”. Benja ainda falou de convites gostosos para tocar soul e disco em eventos na Bahia.
 
Uma última pergunta ao DJ foi sobre o que ele tem descoberto de legal musicalmente. De novo, a palavra a ele: “Tenho comprado muito vinil brasileiro. De Alípio Martins a João Donato, de Ronaldo Resedá a Nazaré Pereira. Disco music e house clássico também, sempre. De dance music atual, o que tem feito minha cabeça são discos de selos como My Love Is Underground e de caras como KinK. E tem muita coisa boa do Renato Cohen saindo aí – tenho experimentado algumas faixas que estão prestes a sair e a resposta tem sido a melhor possível. Aguardem!”. E para finalizar, um vídeo de Benja tocando suas castanholas em Brasília.
 
 


COMPARTILHE